Congresso CBM

Congresso CBM
23 a 27 de outubro de 2017

Participe e nos ajude a levar doações aos nordestinos em janeiro de 2018!

Participe e nos ajude a levar doações aos nordestinos em janeiro de 2018!

QUAL É A SUA DESCULPA?

QUAL É A SUA DESCULPA?
Faça Missões! Obedeça a Ordem de Jesus Cristo.

Seguidores

O que você procura?

28 de agosto de 2009

IGREJA EVANGÉLICA JUVENTUDE DE CRISTO


Em janeiro deste ano, pedimos carta para nos tornar membro da JUV-Rio, congregação da Igreja Evangélica Juventude de Cristo. Esta igreja acolheu a mim e a minha família calorosamente. Não houve tempo para ficarmos no banco, observando cultos ou esperando vitórias. Pr. Miguel Ferreira Diniz, dirigente da congregação nos recebeu com uma Missão muito importante: colocar a Subsede do Rio de Janeiro em Missões. Não havia culto missionário na Subsede e nem qualquer evento específico nesta área. 

Um grande desafio formou-se em nossa cabeça. Como tratar de Missões nesta região da cidade do Rio de Janeiro, que possui uma igreja em cada esquina e deve ter evangelismos e cruzadas regularmente? Como organizar um culto que motivasse as pessoas a amarem Missões? Como interceder pelos missionários que já estão no campo? O que fazer para ajudá-los de forma mais propícia e eficiente? Meu esposo e eu oramos muito e diante das experiências "missionárias" de cada um, juntamos as ideias e criamos a SEMIJUVRio (Secretaria de Missões da Juventude Rio), em alusão a nossa Subsede que pertence à Catedral das Igrejas Juventude de Cristo em Barra Mansa sob direção geral de nosso Pr. Presidente, Pr. Éden Ásvolinsque.

A primeira coisa que fizemos foi uma pesquisa entre os membros da igreja, para sabermos que países interessariam a eles saber sobre a situação missionária. Qual não foi a nossa surpresa em ver que todos se motivaram a ajudar. Meu esposo, Dc. Edson Telles é o líder da SEMIJUVRio e foi quem levou a proposta aos nossos dirigentes sobre a forma de conduzir o culto e o que estaria neles durante o ano.
Resolvemos fazer apenas cinco cultos durante todo o ano de 2009, e não um culto todo mês como a maioria das igrejas evangélicas faz. Afinal, não adiantaria fazer um culto todo mês e não ter capacidade de entender o que cada culto representaria na igreja. Escolhemos cinco países, representando cinco continentes e colocamos um tema em cada culto com uma ação social direta em cada um.

BRASIL

O primeiro culto foi sobre o Brasil e às dificuldades de se falar do Evangelho de Cristo num país democrático. Expomos as dificuldades de acesso às cidades mais distantes do nosso país, assim como às perseguições disfarçadas que o servo de Deus sofre em nosso território. Não foi difícil realizar este primeiro culto, mas queríamos que ele causasse impacto. Então, construímos uma tenda dentro da igreja com um cartaz dizendo "Conheça aqui, um missionário brasileiro!". Quando a pessoa entrava dentro da tenda encontrava um grande espelho com uma palavra escrita: "VOCÊ". Para muitas igrejas que já trabalham com Missões pode ser até comum, pois muitas devem ter feito a mesma coisa anteriormente, mas na JUV-Rio foi a sensação do culto, juntamente com a pregação feita pela Missionária Rosângela Gomes (SEDE na JUVCatedral em Barra Mansa), que esteve conosco prestigiando o evento. Também realizamos uma peça de teatro com o tema "O Leilão de uma Alma" (Postamos um vídeo ao final deste texto).

CHINA



Falar sobre a China foi muito difícil e exigiu muito de nós. Dc. Edson Telles, Obreira Patrícia Aguiar, Obreira Cíntia Diniz e eu fizemos uma pesquisa imensa e capturamos a ideia do que é um missionário em terra estrangeira. Nossa intenção foi demonstrar claramente a questão do choque cultural. Este culto contou com a igreja toda às escuras, sem som e sem direito a entrar com Bíblias nas mãos. Todos eram impactados de imediato. Imagine: ir a um lugar onde você não pode pregar em praça pública, não pode pregar a menores de 18 anos e muito menos carregar sua Bíblia em público. A China é assim!

Na China, país comunista, poucas são as igrejas registradas pelo governo que conseguem realizar cultos públicos. A maioria dos evangélicos chineses cultuam a Deus em igrejas não-registradas, que realizam seus cultos em lugares ermos, subsolos e em casas (o que é proibido também - cultos nos lares). O povo que participou deste culto foi impactado neste primeiro momento. 

A segunda fase do culto se deu com a volta das luzes e o uso dos microfones. As Bíblias regressaram aos seus donos e vimos a alegria nos rostos. Entretanto, todos entenderam a dificuldade de se realizar um culto a Deus neste país asiático. Citamos nomes de vários pastores e missionários que precisam de oração, pois estão presos em campos de trabalhos forçados por falarem sobre Jesus. Fizemos intercessão sobre a Igreja Evangélica Chinesa que cresce no mundo todo. Oramos pela SBB (Sociedade Bíblica do Brasil), para que continue produzindo material impresso e áudio-visual aos que precisam conhecer a Palavra de Deus.

A preletora deste culto foi a Missionária Helena Rafael (ADECIN - Assembleia de Deus em Cidade Nova - a igreja do monte), que trouxe-nos uma visão racional do que é viver Missões na prática. Do que é dormir onde dá para dormir, comer onde se tem o que comer e falou sobre a dificuldades do missionário em comunicar-se na língua local, diante de suas experiências missionárias na Bolívia, Peru e Chile.



Vídeo "Leilão de Alma", peça realizada no primeiro culto missionário sobre Brasil.

26 de agosto de 2009

ADERC E ADECIN - UM MARCO EM MISSÕES!!!

http://www.igrejadoriocomprido.com.br/
Aceitei a Jesus na ADERC - Assembleia de Deus do Rio Comprido em 1993 e ali fiquei até 1999. No mesmo ano pedi carta para ADECIN - Assembleia de Deus em Cidade Nova, onde fiquei até dezembro de 2008. Sair de Cidade Nova não foi fácil. Foi uma decisão muito difícil, mas minha família e eu nos mudamos para Jacarepaguá, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro e ficou cada vez mais difícil permanecer. A distância era muito grande e sem carro ficou quase impossível. Foi muito estressante abandonar a ADECIN, pois  ali estudei um pouco mais da palavra em profundidade e participei do grupo de Missões mais intensamente.

Engraçado, que quando ali cheguei foi uma baque. Quem é que gosta de chegar a lugar novo? Parecia até minha primeira aula na escola. Todos olhando desconfiados. Jovens ativos, muito mais observadores dos que eu já havia conhecido. Uma geração diferente vivendo uma mesma época. Fui muito bem recebida e não foi difícil me embrenhar no meio do Círculo de Oração das irmãs. Na época, dirigido pela Missionária Vanecy, que está na Itália atualmente em Missões. Ali dei meus passos mais profundos no mundo das revelações espirituais através da Palavra de Deus.

O culto de doutrina parecia uma aula da faculdade. Na época, eu cursava Letras na PUC-Rio. Era difícil conciliar estudo com frequencia na igreja. Meu mundo virou uma "bola de neve", gelada e vazia. Viajei a Maceió-Al. Uma fase meio fora da casa de Deus, onde abandonei Missões de vez. Assim eu pensava... O interessante é que eu tinha certeza de que Missões era a minha realidade. No entanto, eu fugia muito. Fugia demais! Era difícil falar de Jesus com a mesma autoridade de antes. Agora, perdida. Pensei em retornar a ADERC, mas Deus me repreendeu em sonho. O "Não" de Deus machuca, mas é importante para nosso crescimento enquanto seres humanos nesta terra.

Foi aí, que regressei com todas as minhas forças ao Senhor. Me interessei pelo trabalho de Missões realizado pela SEMIADECIN e não larguei mais. Iniciei o Seminário Teológico da ADECIN - SETEB, mas por motivos financeiros tive que abandonar no terceiro período. Mesma época, que pelos mesmos motivos, tive que trancar a faculdade de Letras. Missionária Helena Rafael e Pr. Valter Ferreira foram peças fundamentais em minha vida, pois motivaram-me a não desanimar e ajudaram-me em meu crescimento missionário.

Penso que foi por isso que Deus teve compaixão e me enviou o meu esposo, Dc. Edson Telles. Não tínhamos nada a ver um com o outro, mas Deus viu Missões em nós; Deus nos observou e viu crescimento espiritual; Deus nos ungiu e nos uniu, vendo que almas seriam salvas através do que Ele faria em nós.

Noivos, viajamos com a SEMIADECIN para o interior do Rio de Janeiro (Conservatória) e interior de Minas (Bom Jardim de Minas, Arantina e Andrelândia), onde realizamos visitas missionárias, trabalhamos nos cultos realizados nas congregações da ADECIN e colhemos bons frutos através das experiências de Pr. Valter Ferreira que foi um grande professor para nós.

Só que mais uma vez tínhamos que pedir carta e sair de Cidade Nova, pois morando na Taquara... Não deu para estarmos presentes nos cultos e demais atividades. Pedimos carta para uma igreja próxima de nossa casa, JUV-Rio, congregação da Igreja Evangélica Juventude de Cristo que tem sede em Barra Mansa/RJ, e ali estamos realizando atividades de Missões neste ano.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

RESPEITE OS CRÉDITOS!!!

Por favor, respeite os direitos autorais e a propriedade intelectual (Lei nº 9.610/1998). Você pode copiar os textos para publicação/reprodução e outros, mas sempre que o fizer, façam constar no final de sua publicação, a minha autoria ou das pessoas que posto aqui e que, muitas vezes, aqui escrevem. Afinal, algumas postagens do "Blog Uma Visão Missionária" trazem imagens de fontes externas como o Google Imagens e de outros blog´s.

Se alguma for de sua autoria e não foram dados os devidos créditos, perdoe-me e me avise (pahesa.andrade@gmail.com) para que possa fazê-lo. E não se esqueça de, também, creditar ao meu blog as imagens que forem de minha autoria.

Projeto MICRI e a Expedição Missionária Piauí

Chamado Missionário?

Aniversário do Blog!